Uber e Free Now juntas na redução de C02

Free Now e Uber com preferência pelos automóveis elétricos
A partir de agora só carros elétricos integram as frotas da Free Now e da Uber.

Tanto a Free Now como a Uber passam a aceitar nas suas frotas apenas automóveis elétricos e híbridos Plug-in. Esta é a nova medida adotada pelas empresas para reduzir até 2030 o nível de emissões carbónicas. No caso da Free Now espera-se que, até 2025, 50% dos veículos da frota em circulação na europa sejam elétricos.

Free Now- Ride Eco

A Free Now é uma empresa europeia com mais de 100.000 condutores e tem como principal objetivo conseguir estar 20 anos à frente do Acordo de Paris, no que diz respeito à redução das emissões de CO2. O investimento a 5 anos para esta meta ambiciosa ronda os 100 milhões de euros.

Em Portugal, por forma a alcançar a neutralidade de carbono, a Free Now serviu-se da percentagem da comissão aplicada aos condutores para incentivar à mudança para a mobilidade elétrica. Ao invés dos 15% aplicados aos condutores de veículos a combustão, os condutores de veículos elétricos beneficiarão da comissão de apenas 13,7%.

No que diz respeito aos passageiros, a Free Now irá aplicar aos seus clientes uma tarifa 8% mais barata que o habitual, sempre que estes escolham o serviço Ride Eco, disponível tanto para taxis como para os TVDE (transporte em veículo de passageiros descaracterizado).

UberGreen

No caso da Uber, a meta para a deslocação 100% elétrica a nível mundial é para 2040. No entanto espera-se que nos mercados europeu e americano o objetivo seja alcançado até 2030. Para isso a empresa irá fazer um investimento de 800 milhões de euros até 2025.

Em Portugal as mudanças começam a partir de 16 de julho deste ano, nas cidades de Lisboa e Porto, bem como nos distritos de Braga e Faro, onde apenas serão permitidos registos de carros elétricos.

Quanto aos incentivos ao condutor, sabemos que, à semelhança da Free Now, o valor monetário arrecadado, por trajeto, por um condutor de um automóvel elétrico, quando comparado com um automóvel a combustão, será maior. Mesmo dentro do segmento elétrico haverá diferenças consoante a tipologia do veículo. Os condutores de automóveis 100% elétricos receberão uma maior comissão que os condutores de automóveis híbridos Plug-in.

Mas as mudanças não ficam por aqui. Também os clientes habituais deste serviço poderão notar alterações de tarifa, pois mediante a escolha de um veículo a combustíveis fosseis poderá ser aplicada uma taxa extra, à semelhança do que está a acontecer noutros países. Se este é o seu caso, da próxima vez que utilizar o serviço, considere optar pelo UberGreen.

1 Shares:
1 comment
  1. Very great post. I just stumbled upon your blog and wished to
    mention that I’ve truly loved surfing around
    your weblog posts. In any case I’ll be subscribing in your feed and I hope you write once more very soon!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados