Inverno: 5 cuidados – urgentes – a ter com o seu carro

iStock 612261748

Com a chegada do Inverno temos de contar com o frio, a chuva e a neve, elementos perigosos para quem se faz à estrada. Veja aqui como preparar o seu carro para o Inverno.

É incontornável, nos meses mais frios e chuvosos os cuidados com o carro e com a condução  devem ser redobrados. Com as temperaturas mais baixas, a borracha dos pneus demora mais tempo a atingir a temperatura ideal de funcionamento, o que deteriora as condições de aderência à estrada. Com o frio há também o risco de alguns líquidos refrigerantes do seu carro congelarem, o que pode afetar o funcionamento mecânico de vários componentes e danificar o automóvel. Com o Inverno, chega também a chuva e com a estrada molhada existe menos superfície do pneu em contacto com o alcatrão, diminuindo drasticamente os níveis de aderência.

Em alguns locais do nosso país, onde o frio é mais extremo, durante o Inverno, assistimos a fortes nevões. A neve é um dos elementos mais perigosos para um condutor. Trata-se de uma superfície  escorregadia e impede que o pneu entre em contacto com o asfalto, tornando inviável qualquer manobra que tente realizar. Por tudo sito, mesmo que tenha o apoio de uma oficina, tenha atenção aos seguintes conselhos e viaje em segurança durante os próximos meses!

1. Avaliar o estado da bateria

Alguns componentes, como a bateria, têm maiores dificuldades em trabalhar sob climas mais frios. Como as baterias criam energia baseada em reacções químicas, e todas as reacções químicas são influenciadas pela temperatura, no Inverno a energia não é tanta. Como a energia fornecida pela bateria é menor, o carro pode ter mais dificuldades em ligar e ninguém gosta de ficar parado ou sem ar condicionado, com temperaturas quase negativas lá fora.
Caso a sua bateria tenha mais de 5 anos, deve pensar em substituí-la antes do Inverno. Caso seja recente, faça um teste de potência. E se a leitura da potência debitada seja inferior a 12V, significa que a sua bateria não está a funcionar em perfeitas condições e deve ser mudada.

2. Verificar os pneus

Os pneus são o único componente do veículo em contacto com a estrada. Por isso, devem estar em bom estado e preparados para as constantes variações de velocidade e de condições climatéricas.

  • Comece por verificar o piso. O limite legal para que um pneu possa circular é de 1,6mm. No entanto, um pneu com 3mm de piso precisa de practicamente mais 20% de espaço para conseguir travar em segurança.
  • Os sulcos de um pneu novo têm entre 8 a 9mm de profundidade e, para garantir que circula em máxima segurança, deve certificar-se que, a cada Inverno, os seus pneus estão practicamente novos. Aconselhamos a que nunca deixe que os seus pneus tenham piso inferior a 4mm, sensivelmente metade do piso inicial.
  • Ter pneus novos não significa menores cuidados a conduzir no Inverno. Em caso de emergência, eles serão os seus maiores aliados.

3. Mude as escovas do para-brisas

  • As escovas do pára-brisas são um dos elementos do carro sujeitos a maior desgaste.
  • Expostas constantemente ao intenso calor, fruto da exposição solar no Verão, ou ao frio, durante o Inverno, este componente é fabricado de borracha e plástico, materiais com prazos de validade que variam com as condições climáticas.
  • Para a máxima eficiência a retirar água do pára-brisas, as escovas devem ser mudadas todos os anos, antes do início do Inverno.

4. As luzes são importantes

  • Quase tão importante como ver bem, é conseguir ser visto pelos demais condutores.
  • Sob condições de chuva torrencial, as luzes de presença e de nevoeiro são um dos principais aliados dos condutores para conseguirem visualizar o tráfego à sua frente.
  • Verificar o estado das luzes deve ser uma tarefa regular.

5. Substitua o líquido anticongelante

  • Durante o Inverno, é extremamente importante que o sistema de refrigeração do seu automóvel não seja alimentado por água, mas sim por um líquido anticongelante.
  • Se utilizar água, e caso o seu carro esteja exposto a temperaturas negativas, esta corre o risco de congelar – não arrefecendo o motor nos momentos iniciais, podendo provocar danos bastante sérios no “coração” do seu carro.
  • Os líquidos anticongelantes suportam temperaturas até -20ºC. Garantem que o motor esteja sempre a funcionar dentro do regime ideal de temperaturas. Mas para que funcione na perfeição, devem ser mudados todos os anos, garantindo que não perde quaisquer propriedades durante os ciclos de utilização.
0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados
NOVOS SINAIS TRANSITO 2
Saber Mais

Três novos sinais de perigo

A segurança rodoviária, pelo seu impacto social e económico, é um tema que seguimos com muita atenção. Como…