Previsões do mercado automóvel para 2021

Previsões do mercado automóvel para 2021
A quebra foi mais acentuada nos automóveis ligeiros de passageiros. Em Janeiro deste ano, o decréscimo nas vendas atingiu os 30,5 %, em comparação com o ano anterior.

O passado mês de Janeiro registou uma queda acentuada de 28,5 % no setor automóvel, em comparação homóloga com 2020. Segundo a ACAP (Associação do Comércio Automóvel de Portugal), foram matriculados apenas 12.512 automóveis este ano, menos 4.992 do que no ano anterior.

O Mercado Automóvel em Portugal

No segmento dos veículos pesados foram apenas matriculadas 385 unidades, menos 20,8 % em comparação com Janeiro do ano transato. Para esta quebra total contribui a diminuição de vendas em 58,4% nos autocarros e 10,9% nos camiões.

Quanto aos ligeiros de mercadorias, foram matriculadas 2.098 unidades, menos 19,2% que em janeiro de 2020. Todavia, foi nos ligeiros de passageiros que a quebra foi mais acentuada, com um decréscimo de 30,5 %, correspondendo à venda de 10.029 automóveis.

“É de salientar que esta queda não foi superior, porque no mês de janeiro foram matriculadas várias centenas de veículos híbridos, cujo imposto foi liquidado em 2020.”, destaca a ACAP (Associação Automóvel de Portugal).

Por um lado, as matrículas de centenas de automóveis híbridos não Plug-in evitaram uma maior descida no mercado, mas por outro, a obrigatoriedade de pagamento do IUC (Imposto Único de Circulação) pelos veículos não vendidos veio piorar a situação dos concessionários, que devido à pandemia não conseguem escoar os stocks.

Segundo a ACAP, as marcas estão a assumir um prejuízo por não terem clientes para os automóveis encomendados em Outubro e Novembro, que estão agora a chegar a Portugal com o novo imposto. Acerca deste assunto, a ANECRA (Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel) diz ser inviável a sua comercialização, pois tal implicaria a negociação do preço final com os consumidores, que deram ordem de compra com base no preço antigo.

Perspetivas para o Mercado Europeu

Se por cá o ano não começou da melhor forma, por lá a recuperação do setor automóvel já é notória. Após uma queda sem precedentes em 2020, menos 23,7% face a 2019, o mercado europeu apresenta agora um aumento de 10% nas vendas de automóveis. Esta melhoria terá impacto direto em 14,6 milhões de trabalhadores europeus, que representam 6,7% da taxa de emprego na Europa.

“Graças às vendas mundiais dos construtores europeus e à procura internacional de veículos fabricados na Europa, as fábricas europeias puderam beneficiar da recuperação mais rápida de alguns mercados, em particular o da Ásia.”, afirma Oliver Zipse, presidente da ACEA .

De acordo com a Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA), os efeitos da pandemia deverão persistir até o fim do primeiro trimestre de 2021, todavia tudo indica que o setor automóvel irá recuperar no segundo semestre do ano, à medida que os programas de vacinação forem expandindo.

Também o grupo Volkswagen mantém o tom otimista em relação à segunda metade do ano, apontando a atual campanha de vacinação como principal impulsionadora da economia global. No entanto, alerta que deveremos estar preparados para uma viragem significativa.

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados