LeasePlan: novo estudo sobre segurança rodoviária e frotas

iStock 1170179204
LeasePlan e a segurança na mobilidade

Compreender a segurança dos condutores e contribuir ativamente para frotas mais seguras e economicamente eficientes. Estes são os objetivos fundamentais do mais recente estudo da LeasePlan e que poderá ser consultado aqui. Um documento incontornável a todas as empresas que se preocupam com a integridade das suas equipas e o desempenho das suas frotas.

Tópicos do estudo:

. Segurança dos condutores: um aspeto crucial;
. Desenvolvimentos relacionados com a segurança;
. O progresso da segurança rodoviária estagnou. Porquê?
. Legislação
. Tecnologia
. Empresas: o que pode ser feito?

Segurança dos condutores: um aspeto crucial.

Sabia que os sinistros rodoviários relacionados com o trabalho representam até um terço de todas as mortes em ambiente profissional? Estes e outros dados, com consequências no bem-estar das equipas e na rentabilidade dos negócios, devem merecer a nossa atenção e tomada de medidas muito concretas.

O estudo agora apresentado mostra que na UE, nos EUA e Austrália, os sinistros rodoviários relacionados com o trabalho representam entre um quarto e um terço de todas as mortes relacionadas com o trabalho, com um custo socioeconómico – estimado pela Comissão Europeia – entre 0,7 milhões e 3 milhões de euros.

Desenvolvimentos relacionados com a segurança.

É com o objetivo de sensibilizar para o problema da segurança rodoviária que o documento nos mostra que o número de feridos e mortes em consequência da circulação rodoviária atingiu proporções epidémicas, a um nível global, e continua a subir, na maioria das regiões. Todos os anos, entre 20 milhões e 50 milhões de utentes da estrada sofrem ferimentos não fatais nas estradas, e ocorrem mais de 1,35 milhões mortes.

Felizmente, a segurança rodoviária na União Europeia (UE) e nos Estados Unidos da América (EUA) melhorou bastante, nas últimas décadas, e as estradas europeias são as mais seguras do mundo. A segurança é fundamental para qualquer sistema de mobilidade. Na UE, as estatísticas mostraram uma redução substancial de mortes nas estradas em relação há cerca de uma década, mas desde 2013 que o progresso estagnou. Esta estagnação – a qual ocorreu apesar de os automóveis estarem a ficar mais seguros e de os governos introduzirem cada vez mais iniciativas de segurança – significa que, em 2020, o número real de mortes ultrapassará o objetivo da UE estipulado no início da década em cerca de 10 000.

Segurança rodoviária: progressos em stand by.

As distrações durante a condução têm grande responsabilidade nos dados da sinistralidade, mas este estudo mostra bem como a segurança rodoviária é uma responsabilidade social partilhada. É que mais de 90% de todos os sinistros são causados por erros dos condutores, tais como fraca capacidade de antecipação, reações inadequadas a um perigo e violação das regras de circulação rodoviária. O comportamento dos utentes da estrada, incluindo peões, ciclistas e condutores, representa, de longe, a maior possibilidade de melhorar a segurança rodoviária.

Outro apontamento relevante deste estudo aponta no sentido de o excesso de velocidade ser o principal fator em 30% dos sinistros fatais, enquanto as distrações provocam 10-30% das fatalidades rodoviárias. Igualmente preocupante é o facto de 25% de todas as fatalidades rodoviárias na Europa estarem relacionadas com o álcool.

Zero fatalidades rodoviárias até 2050.

Enquanto entidades reguladoras, este estudo também olha para o seu papel como elementos chave. Comissão Europeia (CE), Administração Nacional da Segurança Rodoviária (National Highway Traffic Safety Administration – NHTSA) dos EUA estabelecem um quadro legal e definem as funções e responsabilidades dos vários intervenientes, como governos locais, cidadãos e fabricantes de automóveis. Além de adotarem leis, estas entidades definem objetivos, apoiam campanhas de educação pública, auxiliam países individuais, regiões e outras organizações de segurança rodoviária na partilha de experiências relevantes, e também disponibilizam financiamento. Tudo isto com o objetivo de abordar todos os fatores que desempenham um papel nos sinistros rodoviários: infraestrutura, segurança do veículo, comportamento do condutor e resposta de emergência.

Tecnologia e segurança.

Mais e melhores equipamentos capazes de favorecer a segurança dos condutores é uma realidade que todos conhecemos. Este estudo olha para essa realidade, para o papel da segurança ativa, passiva e para o trabalho que as empresas e organizações podem e devem fazer para melhorar as condições de segurança das suas frotas.

Empresas: trabalhar com especialistas.

Um programa eficaz de segurança da frota abrange medidas ativas de prevenção de sinistros, incluindo a educação dos condutores para comportamentos responsáveis e conscientes em termos de segurança, bem como a garantia de que os veículos que estes conduzem são seguros. O estudo agora apresentado detalha com pormenor os tudo aquilo que está ao alcance dos gestores de frotas, para que possam dotar as organizações de um programa de segurança eficiente. Ou seja, que garanta a segurança dos seus colaboradores e favoreça a rentabilidade do negócio.

Especialista em mobilidade, a LeasePlan tem desempenhado um papel fundamental no aconselhamento a muitas empresas. Tem apoiado o estudo, implementação e monitorização de programas de segurança capazes de produzir um ganho efetivo ao nível do bem-estar das equipas e dos resultados da organização.

Estudo integral em PDF. Descarregue aqui:
White paper Drive Safety_PT

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados
GASOLINA MAIS CARA
Saber Mais

Gasolina mais cara esta semana

Tudo indica que esta semana o preço da gasolina simples 95 vai subir, em média, quatro cêntimos por…