Comer melhor em tempo de quarentena

COMER MELHOR EM CASA NA QUARENTENA

Fast food a mais, refeições fora de horas, litros de refrigerantes, snacks, bolachas e doces ao longo do dia… Pois é, neste período de confinamento social estes maus hábitos alimentares têm tomado conta de muitas famílias. Se é o seu caso, comece hoje mesmo a inverter esta tendência. Uma alimentação equilibrada é fundamental para manter o sistema imunitário fortalecido, aspecto muito relevante em contexto de uma pandemia, como a do Covid-19. E já agora, envolva toda família no processo.

1. Despensa variada
Batatas, feijão, tomate…Se compra sempre os mesmos ingredientes vai acabar por limitar o menu da sua família. Para ter uma alimentação equilibrada, é preciso variar nos ingredientes. A próxima vez que for às compras, ponha no carrinho espinafres, maçãs, brócolos ou outros legumes e frutas que não costuma trazer. E não é preciso começar a pensar numa receita em especial. Este tipo de ingredientes são muito versáteis. E quanto a carne? Compra sempre frango? E nos peixes? É sempre salmão?

2. Um ingrediente, várias opções
Para facilitar sua vida na cozinha, pense um pouco no que poderá confeccionar com apenas um ingrediente. Por exemplo, a carne picada pode servir para refogar com legumes, para usar em molhos para esparguete, almôndegas, hambúrguers, etc. Compre uma quantidade que dê para todas estas opções, prepare, congele…. e ganhe tempo para si.

3. Congelador: o seu melhor amigo
Ter comidas prontas ou pre-confeccionadas no congelador é uma forma inteligente de otimizar o seu tempo e de ter sempre refeições à medida de qualquer ocasião. Por isso, faça do congelador o seu grande amigo e congele tudo: legumes, frutas (que podem servir de base para gelados ou sumos), carne, grãos…

4. Cozinhe para todos
Cozinhar para toda a família é uma boa opção, já que otimiza o tempo e torna as refeições mais económicas. Tem bebés em casa? Não há qualquer problema. Até os bebés, em fase de introdução alimentar, podem comer tudo o que as outras pessoas da casa comem. Só é preciso ter cuidado com o sal. Prepare os alimentos e tempere com o sal depois, para poder retirar uma pequena porção para o bebé.

5. Lanches sim, mas mais saudáveis
A meio da manhã e da tarde é importante ter pequenos lanches. Mas estes devem ser nutricionalmente interessantes. Uma banana ou outra peça de fruta, uma cenoura ou um iogurte são boas opções. O que deve evitar são os chocolates, as gomas e outras guloseimas…

6. Evite petiscar a toda a hora
Não é saudável as crianças estarem sempre a comer e a fazer visitas ao frigorífico a toda a hora. É preciso perceber se esse comportamento se deve a fome, ao ócio ou se se trata de algum estado de ansiedade. Se isto tiver a acontecer em sua casa, comece por regularizar os horários das refeições e por fazer lanches mais substanciais.

7. Aproveite o take-away de legumes
Com as restrições à mobilidade estão a proliferar os serviços de comida take-away. Também têm surgido serviços de entrega de legumes e frutas, que proporcionam produtos frescos, de ótima qualidade, a qualquer hora ou dia da semana. Vale a pena experimentar.

8. Leve as crianças para a cozinha
Assim resolve dois problemas ao mesmo tempo: prepara a refeição e entretém a pequenada. Deixe-as cozinhar consigo. Não é preciso fazer um prato muito complexo. Por vezes, partir um ovo ou mexer na massa é o suficiente para os deixar mais felizes…e quebrar a rotina. Pode ser, também, um momento para que fiquem a saber mais sobre os alimentos.

9. Refeições à mesa, sem TV nem tablets
Agora que tem toda a família em casa – ou grande parte dela – faça as refeições à mesa e a horas certas. É uma forma de socializar, de falar sobre as receitas, o gosto de cada um, texturas, sabores e ingredientes. Mas, não se esqueça é um momento sem smartphones ou tablets. E lembre-se de dar o exemplo.

10. Mais água para todos
Beber água – pelo menos 1,5L por dia – é uma regra de ouro para qualquer pessoa e para todas as idades. Para promover esse hábito, pode deixar jarros ou garrafas de água espalhadas pela casa. Assim, não vai haver desculpa para não se beber mais água.

0 Shares:
5 comments
    1. Obrigado Angélica!

      É sempre positivo receber feedback dos nossos seguidores.

      Estamos em contacto e não hesite em deixar-nos as suas opiniões e sugestões.

      Até breve,

      Tiago

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados