Os elétricos utilitários com maior autonomia…

iStock 1190544371
Eléctricos: autonomia continua a ser aspecto chave para os condutores

A autonomia é o tema que acaba por dominar qualquer conversa sobre automóveis elétricos. Os ingleses da Carwow pegaram nalguns dos modelos mais populares e testaram a respectiva autonomia. Confira aqui os resultados.

A Carwow fez um teste comparativo com seis dos mais conhecidos veículos utilitários do mercado, alimentados exclusivamente por bateria. Aos três utilitários mais vendidos, respectivamente Renault Zoe (na versão com 136 cv e bateria de 52 kWh), Peugeot e-208 (136 cv e 50 kWh) e Opel Corsa-e (136 cv e 50 kWh), os ingleses juntaram o pequeno e acessível VW e-up! (83 cv e 36,8 kWh), bem como o Mini Cooper SE (184 cv e 32,6 kWh) e o Honda e (155 cv e 35,5 kWh).

As medições foram realizadas com os veículos a rodar em conjunto, em fila indiana, tendo todos a bateria a 100% de carga quando partiram, para rodarem até a bateria se esgotar por completo. O percurso era sobretudo composto por auto-estrada, percorrida a 90 km/h numas ocasiões e a 120 km/h noutras, o que não é o ideal para prolongar a autonomia dos eléctricos, que atingem os melhores valores em cidade, em que as contínuas desacelerações e travagens lhes permitem gerar energia. Mas as medições foram efectuadas em igualdade de condições e em condições reais de utilização, representando o que cada condutor pode esperar destes seis modelos em estrada, a este ritmo.

Zoe com bom desempenho

O Zoe foi o mais bem sucedido, ao percorrer 368 km com um consumo de 11,7 kWh/100 km. A segunda posição, mas a uma distância confortável, foi alcançada pelo Corsa-e, que percorreu 280 km com a energia que possuía no acumulador, registando um consumo médio de 15,1 kWh/100 km.

A primeira surpresa surgiu com a obtenção da 3ª posição por parte do e-up!, com 260 km e 16,8 kWh/100 km, para a surpresa seguinte nos chegar pela mão do e-208, que registou apenas 259 km, ou seja, menos 21 km do que o seu “irmão” da Opel, apesar de ter conseguido um consumo ligeiramente inferior (14,8 kWh/100 km). Como montam rigorosamente a mesma bateria, sistema de gestão e motor, este resultado pode indiciar uma bateria que já perdeu alguma capacidade.

Já se esperava que a autonomia do Cooper SE figurasse entre as menos generosas, face ao anúncio da marca em WLTP, mas se registou apenas 248 km, a verdade é que o Mini ficou acima dos 230 km reivindicados pelo construtor, apesar de um consumo relativamente elevado, de 16,4 kWh/100 km. Os valores mais modestos ficaram a cargo do Honda e, com somente 182 km entre recargas e um consumo de 16,8 kWh/100 km.

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados
Saber Mais

Bosch vê futuro no diesel

A Bosch está a desenvolver várias tecnologias de motorizações para veículos do transporte rodoviário de mercadorias e não…