Novo Renault Captur em 2020 para tentar segurar liderança SUV

8 AGOSTO RENAULT CAPTUR

Depois de ter anunciado a nova geração do Clio, a Renault revelou a versão SUV da mesma plataforma modular CMF-B, o Captur. Tal como o “irmão”, também o novo SUV não é revolucionário na estética, mas é-o em termos tecnológicos e de objetivos de manter a liderança do respetivo segmento.

A nova geração Renault Captur, que chega ao mercado português no início de 2020, está mais comprida 10 cm (para um total de 4,23 m) e tem uma distância entre eixos maior 2 cm (para 2,63 m). Isso tem reflexos na habitabilidade e na capacidade de carga (a mala tem agora 536 litros, contra 455 da geração ainda em comercialização), como no desempenho em estrada.

A nova arquitetura elétrica e eletrónica desta plataforma CMF-B permite ao novo modelo propor vários equipamentos e de sistemas de ajuda à condução, como seja a câmara 360º e o sistema de travagem de emergência ativa com deteção de ciclistas e peões ou o sistema de assistência à condução em autoestrada e em trânsito (autonomia de nível 2).

Três motores híbrido plug-in
No capítulo das motorizações, a segunda geração do Renault Captur oferece cinco opções de potência, três a gasolina e duas diesel.

Nos a gasolina, a oferta começa nos três cilindros turbo 1.0 TCe com 100 cv (mais 10 cv do que o TCe 90 anterior). Este motor será proposto com caixa manual cinco velocidades. Outras opções a gasolina são o 1.3 TCe FAP, nas derivações de 130 e 155 cv.

O primeiro pode ter caixa manual de seis velocidades ou automática de dupla embraiagem EDC de sete marchas. Já o mais potente apenas poderá ser encomendado com a caixa EDC.

Quanto aos diesel, a oferta será assegurada pelo 1.5 Blue dCi, com 95 e 115 cv. O primeiro equipará caixa manual de seis velocidades e o segundo pode ter essa mesma transmissão ou caixa EDC de sete marchas.

Por último, esta nova plataforma foi concebida para permitir a eletrificação dos veículos e, por conseguinte, a chegada de uma motorização híbrida E-TECH Plug-in à gama do novo Captur.

Com lançamento previsto numa fase posterior – mas ainda em 2020 –, o motor E-TECH Plug-in, utilizará, tal como o híbrido que equipará o Clio, o bloco a gasolina de 1,6 litros da Aliança Renault-Nissan. Este bloco está associado a dois motores elétricos, uma caixa de velocidades multimodo e uma bateria de 9,8 kWh.

Tem capacidade para circular em modo elétrico durante 45 km, a uma velocidade até 135 km/h. Sem o modo elétrico “bloqueado”, funciona como um modelo híbrido E-TECH, que permite arranque em modo elétrico e consumo reduzido face a motores só a gasolina equivalentes.

 

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recomendados
24 DEZEMBRO ACEA NOVO PRESIDENTE
Saber Mais

ACEA elege presidente para 2020

A Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA) elegeu o presidente para 2020. A escolha recaiu no CEO…
7 AGOSTO DS ELETRIFICAÇAO
Saber Mais

DS inicia eletrificação em Portugal

A DS Automobiles deu início à comercialização da sua gama eletrificada E-TENSE em Portugal, o que irá acontecer…
10 JAN VENDAS 2018 SLIDER
Saber Mais

Comprar ou alugar carro?

Seja um particular ou uma empresa, quem procura um carro novo sabe que tem nas mãos uma decisão…
Maxus, Bergé Auto, SAIC
Saber Mais

Maxus chega a Portugal em 2021

A Maxus é a marca chinesa que irá integrar o mercado português ainda este ano. A fabricante automóvel…